LocalPolítica

Ex-secretário estaria operando contra o trabalho de Natália Mandarino na Saúde de São Luís

Atual secretária da pasta estaria sendo atacada pelo seu antecessor por fazer o trabalho correto na área da da Saúde

Alvo  da Operação ‘Cobiça Total’, realizado pela Polícia Federal em outubro deste ano, a gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior, deve seguir com problemas até o dia 31, quando se encerra o mandado. Uma das pastas mais importantes, a saúde enfrenta uma crise entre o ex-secretário Lula Fylho e atual comandante da pasta, Natália Mandarino.

 

Prefeito Edivaldo Holanda Júnior e Lula Filho
Prefeito Edivaldo Holanda Júnior e Lula Filho

O Jornal Itaqui-Bacanga obteve documentos que comprovam, o contraste de valores na compra de insumos básicos durante o período pandêmico. Com Mandarino a frente da pasta da Saúde, pagou 8 vezes mais barato por  luvas cirúrgicas, do que na época do então secretário Lula Fylho, com máscaras para o combate da Covid-19.

A empresa que forneceu o material foi a NR Comercial e Serviços Eireli. Segundo fontes ouvidas pelo JIB, Mandurino estaria sofrendo retaliações por parte de pessoas ligadas ao ex-secretário  que atuam na Comunicação e controladoria. Ela inclusive foi vítima de armação e Fake News que teria sido criada dentro da própria pasta, sendo vazada supostamente por Lula Fylho, por meio de uma figura de nome Santa.

Porém a notícia de um possível superfaturamento com a finalidade desestabilizar o trabalho da atual gestão na pasta não teve efeito desejado, uma vez que os próprios documentos utilizados na Fake News desmentem a matéria.

Segundo o documento, o contrato no valor de R$ 4 milhões mostra preços unitários dos itens, quando  no próprio documento há informações de pedido de realinhamento de preço feito pela empresa, sendo indeferido pela Procuradoria da pasta. Também outras informações que foram omitidas pelas matérias tendenciosas, como o pedido de estorno de empenho de n° 1484/2020, referente ao processo de n° 35496/2020 no montante de R$ 3 milhões de reais e ainda, o valor devido de apenas R$ 987.900,00 das luvas que foram fornecidas, mas que não foi pago nenhum valor por conta da não homologação do contrato pela CGM, que não tem cumprido com seu papel corretamente.

Na época em que Lula Fylho estava na pasta, os valores eram destoantes em diversos contratos, inclusive para aquisição de mascaras triplas com preços unitários foram da realidade que foram deferidos, sendo fator preponderante para a PF deflagrar a Operação Cobiça Total, que pode levar a cadeia Lula Filho e junto com Ele o prefeito Edivaldo Holanda Junior, que continua omisso.

Mostrar mais

Deixe uma resposta

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo