fbpx
EntretenimentoFofoca

LIAM PAYNE, FÁBIO ASSUNÇÃO, GIOVANNA CHAVES … RELEMBRE OS FAMOSOS QUE JÁ ABRIRAM O JOGO SOBRE A DEPENDÊNCIA QUÍMICA

Vício em drogas, álcool e até mesmo remédios: essas celebridades contaram detalhes sobre os problemas que já enfrentaram

Lidar com o abuso de substâncias é sempre complicado, e fazer isso publicamente quando se é uma pessoa famosa é ainda mais difícil. Liam Payne, do One Direction, conversou com Steven Bartlett no podcast Diário de um CEO, e revelou que sofreu com o abuso de álcool e drogas na época em que faz parte do grupo teen.

Durante a conversa, Liam admitiu que teve sérios problemas ligados aos vícios e a sua saúde mental durante os tempos do One Direction, e que chegou até mesmo a pensamentos suicidas – mas que havia mantido tais assuntos em segredo até o momento. No papo, ele conta também que o uso de drogas e bebidas veio como uma maneira de lidar com o assédio: – Havia algumas fotos minhas em um barco e eu estava todo inchado. Chamo aquilo de minha cara de drogas e bebidas. Meu rosto era dez vezes maior do que é agora. O problema era que a melhor maneira de nos proteger era nos trancar em nossos quartos, e o que há no quarto? Um mini-bar. Então eu dei uma festa para um que escapou durante os anos. Foi selvagem, mas uma única maneira de você livrar a frustração. Além disso, o cantor admitiu que uma pandemia de coronavírus fez com que ele voltasse a beber o que, por consequência, o fez ganhar peso. E isso afetou também sua autoestima. Confira a matéria completa aqui. A seguir, confira mais celebridades que abriram o jogo sobre a dependência de substâncias. Além disso, o cantor admitiu que uma pandemia de coronavírus fez com que ele voltasse a beber o que, por consequência, o fez ganhar peso. E isso afetou também sua autoestima. Confira a matéria completa aqui. A seguir, confira mais celebridades que abriram o jogo sobre a dependência de substâncias. Além disso, o cantor admitiu que uma pandemia de coronavírus fez com que ele voltasse a beber o que, por consequência, o fez ganhar peso. E isso afetou também sua autoestima. Confira a matéria completa aqui. A seguir, confira mais celebridades que abriram o jogo sobre a dependência de substâncias.

 

Bento Ribeiro também abriu o jogo sobre o vício em drogas que ocorrem nos últimos anos, e que acabou em sua internação. O ator e humorista, conhecido por apresentar o programa Furo MTV com Dani Calabresa e por interpretar o par romântico de Claudia Ohana na novela A Favorita, sobre o assunto no primeiro episódio do podcast que está lançando, intitulado Ben Yur. Durante o relato, Bento conta que sua dependência foi causada por problemas pessoais que a sobrecarregaram e acabaram impedindo até mesmo que ele continuasse trabalhando: – Passei por umas crises pessoais. Não estava mais funcionando. Não obstaculizam mais fazer humor. Tinha muita coisa na minha vida que eu não estava conseguindo lidar. Tive umas crises, entrei em absoluto e meio que não corrige trabalhar direito. Minha cabeça estava quebrada por um tempo, muitas coisas pessoais, drogas, m **** s que eu fazia … Estava meio perdido. O artista ainda conta sobre os prejuízos que seu corpo acabou sofrendo por conta do excesso do uso de substâncias – e expressou medo ao pensar no que teria ocorrido se ele não possui buscado ajuda: – Quando você fica desconectado da realidade … Não evita me concentrar para mais nada, nem me lembrar das coisas direito, nem prestar atenção em nada direito por mais de cinco minutos. Foi uma bola de neve. Sinto que se eu tivesse continuado na rota que eu estava, eu já teria morrido. Eu fumava três maços de cigarro por dia. Fumava tanto que acendia um e depois outro, esquecendo que já tinha acendido. O artista ainda conta sobre os prejuízos que seu corpo acabou sofrendo por conta do excesso do uso de substâncias – e expressou medo ao pensar no que teria ocorrido se ele não possui buscado ajuda: – Quando você fica desconectado da realidade … Não evita me concentrar para mais nada, nem me lembrar das coisas direito, nem prestar atenção em nada direito por mais de cinco minutos. Foi uma bola de neve. Sinto que se eu tivesse continuado na rota que eu estava, eu já teria morrido. Eu fumava três maços de cigarro por dia. Fumava tanto que acendia um e depois outro, esquecendo que já tinha acendido. O artista ainda conta sobre os prejuízos que seu corpo acabou sofrendo por conta do excesso do uso de substâncias – e expressou medo ao pensar no que teria ocorrido se ele não possui buscado ajuda: – Quando você fica desconectado da realidade … Não evita me concentrar para mais nada, nem me lembrar das coisas direito, nem prestar atenção em nada direito por mais de cinco minutos. Foi uma bola de neve. Sinto que se eu tivesse continuado na rota que eu estava, eu já teria morrido. Eu fumava três maços de cigarro por dia. Fumava tanto que acendia um e depois outro, esquecendo que já tinha acendido. – Quando você fica desconectado da realidade … Não me concentrar para mais nada, nem me lembrar das coisas direito, nem prestar atenção em nada direito por mais de cinco minutos. Foi uma bola de neve. Sinto que se eu tivesse continuado na rota que eu estava, eu já teria morrido. Eu fumava três maços de cigarro por dia. Fumava tanto que acendia um e depois outro, esquecendo que já tinha acendido. – Quando você fica desconectado da realidade … Não me concentrar para mais nada, nem me lembrar das coisas direito, nem prestar atenção em nada direito por mais de cinco minutos. Foi uma bola de neve. Sinto que se eu tivesse continuado na rota que eu estava, eu já teria morrido. Eu fumava três maços de cigarro por dia. Fumava tanto que acendia um e depois outro, esquecendo que já tinha acendido.

 

Anthony Kiedis, vocalista da banda Red Hot Chili Peppers, teve um problema sério com drogas durante anos. Em declarado, o músico revelou que fumou maconha pela primeira vez aos 12 anos de idade, já que seu pai definiu bastante o uso da substância. O vício contínuo durante a formação do Red Hot, e Anthony até foi expulso do grupo por causa da situação. Em 1988, o guitarrista Hillel Slovak, que fazia parte da banda, morreu de uma overdose, o que mexeu bastante com o cantor. Depois disso, ele foi para uma reabilitação e ficou sóbrio por cinco anos, mas teve um deslize, o que atrasou o lançamento do álbum One Hot Minute, em 1995. Além disso, um médico chegou a receber opiáceos para Anthony, o que não relacionada em nada o seu tratamento. Felizmente, o artista está sóbrio desde 2000. Em 2016, ele voltou a falar sobre o assunto, quando o Red Hot cancelou dois shows por sua causa. Em entrevista ao programa Domingo à noite, Anthony disse – Eu recebo muitas mensagens; parecia que as pessoas realmente se importavam. Meus amigos ligaram, pessoas com quem eu não falava há anos ligaram, mas o que as pessoas pensam ou assumem sobre usar [drogas], eu não poderia me importar menos. Não me afeta de nenhuma forma. Na verdade, aconteceu de eu amar estar sóbrio, mas eu também amava ficar bêbado às vezes. Estar sóbrio para mim é um prazer, eu fico muito alegre, funciona para mim. Eu posso surfar, sair com o meu filho, cantar, então eu estou bem. Na época, as apresentações foram canceladas por uma intoxicação alimentar de Anthony, não drogas. Anthony disse – Eu recebo muitas mensagens; parecia que as pessoas realmente se importavam. Meus amigos ligaram, pessoas com quem eu não falava há anos ligaram, mas o que as pessoas pensam ou assumem sobre usar [drogas], eu não poderia me importar menos. Não me afeta de nenhuma forma. Na verdade, aconteceu de eu amar estar sóbrio, mas eu também amava ficar bêbado às vezes. Estar sóbrio para mim é um prazer, eu fico muito alegre, funciona para mim. Eu posso surfar, sair com o meu filho, cantar, então eu estou bem. Na época, as apresentações foram canceladas por uma intoxicação alimentar de Anthony, não drogas. Anthony disse – Eu recebo muitas mensagens; parecia que as pessoas realmente se importavam. Meus amigos ligaram, pessoas com quem eu não falava há anos ligaram, mas o que as pessoas pensam ou assumem sobre usar [drogas], eu não poderia me importar menos. Não me afeta de nenhuma forma. Na verdade, aconteceu de eu amar estar sóbrio, mas eu também amava ficar bêbado às vezes. Estar sóbrio para mim é um prazer, eu fico muito alegre, funciona para mim. Eu posso surfar, sair com o meu filho, cantar, então eu estou bem. Na época, as apresentações foram canceladas por uma intoxicação alimentar de Anthony, não drogas. eu não poderia me importar menos. Não me afeta de nenhuma forma. Na verdade, aconteceu de eu amar estar sóbrio, mas eu também amava ficar bêbado às vezes. Estar sóbrio para mim é um prazer, eu fico muito alegre, funciona para mim. Eu posso surfar, sair com o meu filho, cantar, então eu estou bem. Na época, as apresentações foram canceladas por uma intoxicação alimentar de Anthony, não drogas. eu não poderia me importar menos. Não me afeta de nenhuma forma. Na verdade, aconteceu de eu amar estar sóbrio, mas eu também amava ficar bêbado às vezes. Estar sóbrio para mim é um prazer, eu fico muito alegre, funciona para mim. Eu posso surfar, sair com o meu filho, cantar, então eu estou bem. Na época, as apresentações foram canceladas por uma intoxicação alimentar de Anthony, não drogas.

 

Noah Centineo, astro de filmes como Para Todos os Garotos Que Já Amei e O Date Perfeito, abriu o jogo sobre seus vícios, que definiu quando o ator tinha apenas 17 anos de idade. Para o Harper’s BAZAAR, ele contou detalhes sobre uma fase cheia de festas, que começou quando ele estava iniciando sua carreira em Hollywood: – Há um sindicato de, tipo, 500 a mil garotos na indústria de entretenimento que estão tentando fazer sucesso agora e tudo o que eles fazem de segunda a segunda é ir à festas todas as noites. Para Noah, o que ele mais gostava de fazer com os amigos era tomar ecstasy e conversar por cinco horas e chegar ao fundo de algumas questões profundamente filosóficas. Quando questionado sobre quais outras substâncias usava, o ator disse: – Tudo. Não havia muita coisa que eu não usava. Eu nunca, nunca injetei nada, o que é bom. Eu fumava muitas coisas. Eu estava muito chateado, cara. Foi um período muito sombrio da minha vida. Quando tinha 15 anos, os pais do ator se separaram e ele viveu em diferentes casas de amigos por quatro anos. Antes de completar 21 anos de idade, Noah, que hoje tem 23 anos, decidiu ficar sóbrio.

Fábio Assunção falou abertamente sobre seus problemas do passado. Em entrevista à Trip, contou ele: – A primeira vez que achei que as coisas estavam saindo do meu controle, em 2008, fui ao AA [Alcoólicos Anônimos]. Estava me sentindo envergonhado, muito preocupado com as pessoas saberem. Cara, na hora que eu saí, tinha um paparazzo do lado de fora. Então, eu nunca tive a possibilidade de viver esse processo com privacidade, confessou. O ator ainda falou sobre o que o levou ao vício: – Se você está feliz, se está com saudade, se tem uma perda ou se acaba um relacionamento, tem que vivenciar isso e dói. Essas coisas… Todo mundo sente o impacto afetuoso, não são verdadeiros. Então acho que [fazer uso de substâncias] foi uma forma de não sentir, uma coisa que eu não tinha preparo para me relacionar. Além disso, Fábio também estimula as pessoas que passam por esse tipo de situação a buscarem ajuda: – Qualquer questão na vida da gente, o que faz piorar é não compartilhar. Não estou falando só de drogas, mas de qualquer questão. Se você guarda para você e não dividir, a tendência é que isso vire um fantasma em sua vida. Falar sobre isso e desmistificar esse tema. Após passar um processo de emagrecimento, ele diz que Falar sobre isso e desmistificar esse tema.

 

Giovanna Chaves, ex-atriz mirim do SBT, abriu o jogo em seu Twitter e revelou que vinha abusando do álcool e que, por causa disso, tinha iniciado a terapia. Famosa pela novela Cúmplices de um Resgate, Giovanna escreveu: Gente, tive probleminhas sérios e descontei tudo em bebida, e foi bem ruim porque entrei num ciclo vicioso de só fazer m *** a. Hoje começo terapia, porque realmente preciso e espero que vocês me acompanhem nesse processinho que não é tão legal, né? Nunca é tarde para melhorar, e tô bem feliz que consegui perceber que precisava de ajudinha. Mais tarde, ela pulou as redes novamente para agradecer o apoio dos fãs: Muito grata que agora que estou meio ruim pensar que estava sozinha, mas teve tanta gente que me estendeu a mão. Foi bem fofo! Fiquei muito feliz.

 

Taryn Manning, também conhecida como Pensatucky na série Orange é a New Black, admitiu ao TMZ o seu vício em álcool. A atriz quis deixar claro que está buscando meios para se manter sóbria: – Eu agradeço todos os dias por chegado a aquilo que alguns chamam de fundo do poço. Alguns dias são ruínas, outros são piores. Não me envergonho desse obstáculo, pois eu já aceitei que ok não estar sempre bem. Taryn ainda afirmou que não consegue se internar em uma clínica de reabilitação por conta de sua agenda, mas que tem um companheiro sóbrio, terapeutas, amigos e outras formas seguras. Além disso, os colegas de elenco e a equipe de Orange são os Novos Negros ajudaram muito nessa fase da vida da atriz: – Eu nunca tinha me sentido tão aceita, perdoada e apoiada quanto esse período na minha vida. Isso não é fácil.

 

Em sua autobiografia, Elton John comentou uma passagem importante de sua vida: quando conheceu Ryan White, um jovem que era portador do vírus da AIDS, que o capacitou a superar seu vício das drogas e álcool. Segundo o site Entertainment Weekly, o cantor escreveu: Quando Ryan morreu em abril de 1990, aos 18 anos, eu não sabia como conversar com alguém a menos que eu estivesse sob o efeito de drogas e álcool. Após o seu funeral, eu voltei para Londres e me tranquei em casa, o que tornei meu hábito. Meus valores foram enterrados embaixo da minha autodestruição. Mas estou aqui por causa de Ryan. Elton explicou que quando estava em crise, Ryan e sua família o inspiraram a querer ser uma pessoa melhor – sua perda o fez ter vontade de superar o vício: Estar perto da família White me fez ter vontade de ser uma pessoa melhor. Quando os olhos dele fecharam, os meus se abriram – e eles estão disponíveis desde então.

 

Mostrar mais

Deixe uma resposta

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo