fbpx
Esporte

Juíza pede informações sobre contas de Maradona no exterior

Objetivo é determinar o patrimônio total que o ex-jogador deixou ao falecer

A juíza argentina Tedesco Del Rivero, responsável pelo processo sobre a herança do ex-jogador Diego Maradona, enviou cartas diplomáticas à Venezuela, ao México, a Belarus, a Cuba, à Itália, à Suíça e aos Emirados Árabes, para tentar obter informações sobre possíveis bens e contas bancárias em nome do camisa 10 que morreu em 25 de novembro do ano passado.

O objetivo da magistrada, dos ramos cível e comercial da cidade de La Plata, na província de Buenos Aires, é determinar o patrimônio total que Maradona deixou ao falecer em consequência de problemas cardíacos.

Fontes ligadas ao casos, informaram nesta quinta-feira (1º) à imprensa local que a juíza pediu informações sobre a existência de contas em instituições financeiras, cofres, títulos ou qualquer outro ativo no nome de Maradona nos citados países.

No início deste mês, Del Rivero determinou que os “cinco herdeiros universais” do ex-jogador são os filhos dele: Diego Armando Maradona Junior (de 34 anos), Dalma (33), Gianinna (31 años), Jana (24) e Diego Fernando (8 anos).

O advogado Juan Manuel Dragani, que representa Dalma e Gianinna Maradona, além da mãe delas, Claudia Villafañe, que foi casada com “El Pibe” de 1989 a 2003, em três processos criminais contra Matías Morla, advogado do astro do futebol e encarregado de administrar o dinheiro do ex-jogador.

Em diálogo veiculado pela emissora de televisão Todo Noticias, Dragani garantiu nesta quinta-feira saber que Maradona “havia fechado contratos no exterior e que havia triangulações e transferências bancárias efetuadas.

*Com informações da Agência EFE

Mostrar mais

Deixe uma resposta

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo