Mundo

Atropelado em março de 2020, jovem acorda do coma sem saber da pandemia

Joseph Flavill contraiu o vírus duas vezes no hospital

Após sofrer um acidade de carro em 1° de março de 2019, um estudante britânico de 19 anos acordou do coma onze meses depois, em um mundo completamente diferente. Enquanto Joseph Flavill permanecia desacordado, o mundo enfrentava a pandemia da Covid-19 e esperava, com aflição, a criação das vacinas. Nesse meio tempo, o próprio jovem contraiu o vírus duas vezes no hospital, sem que nada soubesse.

– É quase como se ele tivesse dormido durante toda a pandemia. É difícil, pois sabemos que ele está mais alerta, mas como você explica a pandemia para alguém que está em coma? – disse a tia, Sally Flavill-Smith ao Daily Mail.

Para Sally, faltam palavras para explicar ao sobrinho tudo o que o mundo viveu em tão pouco tempo.

– Eu simplesmente não sei por onde começar. Um ano atrás, se alguém tivesse me contado o que iria acontecer no ano passado, eu não acho que teria acreditado. Não tenho ideia de como Joseph vai entender o que todos nós passamos – desabafou ela em entrevista ao The Guardian.

ACIDENTE
Joseph Flavill caminhava em Staffordshire, na Inglaterra, quando foi atropelado por um automóvel. Ele entrou em coma após sofrer uma lesão cerebral traumática. Três semanas depois, o Reino Unido decretava seu primeiro lockdown para frear a pandemia.

Atualmente, Joseph está no centro de reabilitação neurológica Adderley Green e começou a responder aos estímulos. Ele já é capaz de mover os membros quando solicitado e de comunicar-se com a família e os amigos, piscando e sorrindo.

Devido às restrições devido à pandemia, a família só pode comunicar-se com o adolescente via chamada de vídeo. Segundo a tia do jovem, eles ainda não tentaram explicar sobre a dimensão da pandemia e apenas o farão quando puderem vê-lo pessoalmente.

– Quando ele estiver acordado em seu quarto, não terá a menor ideia de por que está lá. Falamos sobre isso por telefone e tentamos alertá-lo de que realmente queremos estar ali, segurando suas mãos. Mas simplesmente não podemos fazer isso [por causa de Covid-19]. Quando pudermos ter um contato cara a cara, essa será a oportunidade de realmente tentar explicar a ele o que aconteceu – disse Sally.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo