fbpx
Fofoca

Justiça condena maternidade por privilegiar Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank

A maternidade deverá pagar indenização de R$ 40 mil para o casal, que afirma ter tido tratamento desigual durante o nascimento da sua filha

A maternidade Perinatal, no Rio de Janeiro, foi condenada pela Justiça a pagar indenização de R$ 40 mil a um casal que afirma ter tido tratamento desigual durante o nascimento de sua filha. Segundo o hospital, o serviço profissional de fotografia não era permitido na unidade, como medida de combate à pandemia. Mesmo assim, o hospital teria permitido as fotos profissionais de Zyan, filho de Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso. As informações são do blog F5 do Folha de São Paulo.

Segundo a reportagem, a maternidade afirmou no processo que “a vedação excepcional e temporária da prática decorria de uma série de normas de autoridades de saúde em razão da pandemia, e que a irregularidade em permitir o ingresso de fotógrafo no caso dos atores Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso já foi assumida publicamente”.

Contudo, na época do nascimento de Zyan, a Perinatal havia afirmando que a política do hospital de não autorizar fotógrafos na sala de parto estava mantida, e que foi aberta uma exceção para um fotógrafo que apresentou resultado negativo para a Covid-19, “o que está em desacordo com o nosso protocolo”, acrescentou a maternidade.

Com isso, a juíza Flávia Santos Capanema de Souza, do 6º Juizado Especial Cível, concluiu que a maternidade deverá pagar indenização de R$ 20 mil para cada um dos atores da ação. A Perinatal afirmou que seu departamento jurídico vai recorrer da decisão, obedecendo aos trâmites processuais.

Mostrar mais

Deixe uma resposta

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo