Mundo

O emocionante depoimento do irmão de George Floyd ao Congresso

'Meu irmão não merecia morrer por uma nota de US$ 20. É este o valor de um homem negro?', disse Philonise Floyd. 'Estamos em 2020. Basta é basta'

Um dos irmãos de George Floyd compareceu a uma audiência no Congresso Nacional dos EUA convocada para discutir a reforma das polícias no país e fez um emocionante discurso. Philonise Floyd questionou o valor das vidas negras no século XXI: “Meu irmão não merecia morrer por uma nota de US$ 20. É este o valor de um homem negro?”.

Floyd foi assassinado em 25 de maio, após ser abordado por policiais que respondiam a uma denúncia de uma nota falsa de US$ 20 teria sido usada em um bar. Ele foi retirado do carro onde estava e mantido preso ao chão com quatro policiais brancos ajoelhados sobre suas costas e pescoço. Seu pedido de ajuda — “Não consigo respirar” — virou o mote de uma onda de protestos mundiais contra o racismo e a brutalidade policial.

Em um dos momentos mais tocantes, Philonise disse ter percebido que seu irmão não deixou de chamar os homens que o mataram de senhor. “Ele era nosso gigante gentil. E eu me lembrei disso quando assisti ao vídeo do seu assassinato. Ele chamou os policiais de ‘senhor’. Ele agiu com suavidade, ele não reagiu. Os homens que lhe tiraram a vida, que o sufocaram por 8 minutos e 46 segundo. Ele seguiu chamando de ‘senhor’ enquanto implorava por sua vida.”

Philonise, que tem sido o principal porta-voz da família Floyd, ressaltou a dor sentida ao ter que assistir cenas como as registradas na abordagem violenta da polícia ao irmão.

“Estou cansado. Cansado de sentir dor, a dor que você sente quando assiste algo assim. Quando você vê o seu irmão mais velho, que era para quem você olhava como exemplo ao longo de toda a sua vida, morrer implorando por sua vida”, relatou. E em voz alta, exigiu dos congressistas: “Parem esta dor.”

“George pediu ajuda e foi ignorado. Por favor, escutem o pedido que estou fazendo agora a vocês. Aos pedidos da nossa família e os que estão soando nas ruas ao redor do mundo.”

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo