Geral

Stellar Banner será 7° embarcação a afundar no estado

Conheça as outras embarcações que afundaram na costa maranhense

Maria Celeste – 1954

O navio de bandeira americana Maria Celeste, pegou fogo na rampa Campos Melo, a poucos metros da Avenida Beira Mar. A embarcação iniciava uma operação para transportar combustíveis através de tonéis, por meio de embarcações empurradas chamadas de Alvarengas. O acidente aconteceu na tarde do dia 16 de março de 1954. Após um curto circuito, uma das alvarengas pegou fogo e logo tomou conta de todo o navio que estava cheio de tonéis de gasolina e óleo diesel. 14 pessoas morreram. Testemunhas afirmam que os tonéis subiam em alturas acima de 35 metros, da mesma forma que as labaredas por conta do material altamente inflamável. Os destroços do Maria Celeste interditaram o canal de acesso à rampa por mais de 20 anos, quando finalmente foram retirados.

Hynday New World – 1987

O navio coreano Hyunday New World, carregado com 110 mil toneladas de carvão e 90 mil toneladas de minério de ferro deixou o porto de Ponta da Madeira com destino ao porto de Xangai, no dia 31 de março. Um defeito na casa de máquinas comprometeu a manobrabilidade do navio, que foi jogado jogado em um banco de areia conhecido como Cavalos, onde os seus destroços permanecem encobertos. Até hoje pouco ou quase nada se sabe sobre as verdadeiras causas do acidente.

Navio Orad Nassau – 1990

Mesmo depois de encalhar no bando de areia Cavalos, o navio Hyunday New World continuou gerando acidentes na Baía de São Marcos.

O navio Orad Nassau, que estava carregado com 33 mil toneladas óleo diesel, se chocou com os destroços do navio coreano e parte de sua carga foi jogada ao mar, causando um dos mais graves acidentes ecológicos já registrados na principal rota portuária do Maranhão.

Rebocador Rigel – 1993

O Rebocador Rigel se envolveu em um acidente com o navio Mount Athos em 1993. Com o choque, dois dos tripulantes do rebocador morreram, o foguista José de Ribamar Sousa e o Mestre João. O acidente aconteceu no dia 06 de novembro, durante uma manobra de atracação do navio Mount Athos. Tempos depois o Rigel foi resgatado da Baía de São Marcos.

Navio Trade Daring – 1994

O acidente aconteceu no dia 11 de novembro. O navio teve seu casco partido ao meio após ser parcialmente carregado com minério de ferro e manganês no terminal de Ponta da Madeira. Depois do incidente, a Diretoria de Portos e Costas (DPC) baixou uma norma regulando a entrada de embarcações com ou com mais de 18 anos tentando evitar que episódios assim se repetissem. Uma mega operação foi realizada para liberar o terminal que ficou completamente parado por mais de um mês.

Navio Norsul Trombetas – 1998

O navio Norsul Trombetas, carregado com 24 mil toneladas de bauxita encalhou em um banco de areia chamado Lanzudos, quando estava prestes a entrar no canal de acesso de uma fábrica de alumínio do Maranhão. O acidente aconteceu faltando poucos quilômetros para atracar, a menos de três milhas do Itaqui. 12 anos depois, partes do casco foram retiradas, mas ainda existem destroços no local, visto que várias tentativas de resgate falharam ao longo do tempo.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo