Polícia

No Amazonas, 42 presidiários são encontrados mortos

Governo confirmou óbitos nesta segunda-feira

Nesta segunda-feira (27), o governo do Amazonas confirmou que mais 42 detentos foram encontrados mortos em celas de três presídios do estado. A Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap) explicou que as mortes foram causadas por enforcamento no Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP) e no Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM I), todos em Manaus.

Um inquérito foi instaurado para que os homicídios sejam investigados. As execuções aconteceram menos de 24 horas após a morte de 15 presos em um motim, no no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), que também fica na capital amazonense.

O governador Wilson Lima conversou com ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. Por meio de um comunicado, ele informou o teor da conversa desta segunda-feira.

– Acabei de falar com o ministro Sérgio Moro, que já está mandando uma equipe de intervenção prisional para o Estado do Amazonas, para que possa nos ajudar neste momento de crise e um problema que é nacional: o problema dos presídios. A qualquer momento a equipe de intervenção do Ministério da Justiça desembarca no Estado para nos ajudar” – afirmou Lima, no texto.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar