Polícia

PM do Maranhão que matou PM do PI na frente do filho é indiciado por homicídio por motivo fútil

Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) concluiu inquérito nesta quinta-feira (7). Policial responderá ainda pelo porte ilegal de arma de fogo.

O policial Francisco Ribeiro dos Santos, da Polícia Militar do Maranhão, foi indiciado por homicídio qualificado por motivo fútil. De acordo com a investigação do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), concluída nesta quinta-feira (7), o policial Samuel de Sousa Borges, de 30 anos, foi morto após ameaçar denunciar o PM do Maranhão à Corregedoria da Corporação.

Francisco Ribeiro foi preso em flagrante logo após o crime, e está na Penitenciária de Campo Maior. Além do homicídio qualificado, ele responderá ainda pelo porte ilegal de arma de fogo. O inquérito policial será encaminhado à Justiça nesta sexta-feira (8).

No dia do crime, o policial do Maranhão foi espancado por pessoas que presenciaram o assassinato e preso em flagrante. A vítima, o policial militar Samuel Borges, foi assassinado com três tiros, um deles na cabeça, na presença do filho adolescente.

Após ser preso, o suspeito declarou à polícia que o motivo do crime teria sido uma discussão sobre o trânsito, mas a versão foi descartada durante a investigação.

Discussão sobre arma ilegal

Policial foi baleado próximo a uma escola na Zona Leste de Teresina- Piauí

De acordo com o delegado Francisco Costa, o Barêtta, a discussão entre os dois policiais começou na Avenida Presidente Kennedy, na Zona Leste de Teresina. O policial do Piauí pilotava uma motocicleta levando o filho na garupa, e abordou o policial do Maranhão quando percebeu que o ele tinha dois volumes nas calças, que seriam duas armas de fogo, e estava com uma motocicleta sem placa.

“O sinal fechou, eles pararam juntos e o policial do Piauí perguntou se o outro era policial, e começaram a discussão”, contou o delegado Barêtta. A discussão continuou pelo trânsito da Zona Leste até bairro Jockey, quando os dois desceram das motocicletas.

Policial foi preso com uma pistola e um revólver 38 — Foto: Divulgação/PM-PI
Policial foi preso com uma pistola e um revólver 38 — Foto: Divulgação/PM-PI

“Lá, na hora, a vítima disse que iria filmar ele e dar voz de prisão, e levar ele para Corregedoria da PM porque ele estava usando uma segunda arma, que não era registrada. Quando ele pegou o celular para começar a filmar, o autor do crime disse ‘não me filma, se não é te mato’”, contou o delegado Barêtta.

O cabo Samuel de Sousa Borges continuou a filmar e então foi baleado com três tiros, um deles na cabeça, e morreu na frente do filho.

Além do crime de homicídio, Francisco Ribeiro dos Santos Filho já responde a um processo por conduta ilegal em abordagem. De acordo com os autos da ação judicial, Francisco Ribeiro foi filmado agredindo um homem durante uma revista.

Homenagens

Amigos e familiares prestam última homenagem ao cabo morto na frente do filho — Foto: G1 PI
Amigos e familiares prestam última homenagem ao cabo morto na frente do filho — Foto: G1 PI

Samuel de Sousa Borges, 30 anos, fazia parte do Batalhão de Rondas Ostensivas de Natureza Especial (BPRone), e era lotado na Cavalaria da Polícia Militar do Piauí.

O policial foi velado com honras militares na sede do Batalhão de Rondas Ostensivas de Natureza Especial (BPRone). O cortejo foi acompanhado por homens da Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar e BPRone, além dos amigos e familiares. O policial cursava Nutrição em uma faculdade particular de Tersina, e foi homenageado por colegas de turma durante a solenidade de colação de grau.

Fonte: G1/PI

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar