Gospel

Muçulmanos da Indonésia aprovaram 33 mil casamentos infantis de janeiro a junho de 2020

Na Ásia, dezenas de milhares de menores foram forçadas a se casar apenas nos últimos meses. Noivas infantis são um fenômeno enraizado em muitas comunidades tradicionais do continente, da Indonésia à Índia, do Paquistão ao Vietnã.

A Indonésia está entre as nações do mundo com uma das maiores taxas de casamento precoce, de acordo com a Unicef; o governo de Jacarta aumentou a idade mínima de 16 para 19 para ambos os sexos na tentativa de conter o problema.

Mas, as autorizações concedidas pelos tribunais religiosos locais acabam anulando a regra. De acordo com o Ministério de Jacarta para o Desenvolvimento da Mulher e a Proteção da Criança, as autoridades islâmicas do arquipélago concederam luz verde a mais de 33.000 casamentos infantis entre janeiro e junho de 2020; um número muito superior ao total de 22 mil concedidos em todo o ano anterior.

Crise econômica

Nos últimos anos, os números diminuíram graças ao trabalho de conscientização e promoção da educação por parte de governos, organizações e associações internacionais, incluindo as crianças.

Essas melhorias correm o risco de ser frustradas pelo impacto da Covid-19, que já causou uma perda massiva de empregos.

A crise econômica, agravada pelo aumento do desemprego, leva os pais a se casarem com os filhos – especialmente no caso das meninas – aliviando o custo de vida e o orçamento familiar.

Shipra Jha, chefe da Ásia para a ONG feminina Girls Not Brides, confirma que “todas as conquistas que fizemos na última década estão sofrendo progressivamente”.

“O casamento precoce – continua a ativista pelos direitos das mulheres – está enraizado nas desigualdades de gênero e nas estruturas patriarcais. Foi o que aconteceu, e até piorou, na era Covid-19”.

A pobreza, a falta de educação e a insegurança são a causa dos casamentos prematuros já em tempos de estabilidade; crises, como a atual caracterizada por uma pandemia global, acabam agravando o problema.

De acordo com as Nações Unidas, cerca de 12 milhões de meninas em todo o mundo se casam todos os anos antes de completarem 18 anos. Segundo a ONU, ações urgentes e eficazes são necessárias para conter o impacto econômico e social “devastador” do coronavírus porque, de outra forma, outros 13 milhões de meninas poderiam ser adicionados às estimativas atuais na próxima década.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar