Polícia

Polícia Civil prende autor e mandante de duplo feminicídio no Calhau; veja detalhes do crime

O crime ocorreu no dia 7 de junho, no bairro Calhau, em São Luís.

Na manhã de segunda-feira (22), a Polícia Civil do Maranhão, por meio do Departamento de Feminicídio da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), prendeu dois homens envolvidos na morte de Graça Maria Pereira de Oliveira, de 54 anos, e Talita Oliveira de Oliveira Friseiro, de 25 anos (mãe e filha), ocorrido no dia 7 de junho, no bairro Calhau, em São Luís.

Mãe e filha foram mortas por estrangulamento informam
Mãe e filha foram mortas por estrangulamento informam

O ex-marido, G. A. S era apontado como principal suspeito no início das investigações, porém imagens de câmeras de segurança comprovaram que Ele não estava no local do crime, inclusive encontrava-se na cidade de Imperatriz. Mesmo não sendo autor, a polícia deu prosseguimento para elucidar o crime.

Segundo a delegada Viviane Fontenelle, responsável pelo caso, um homem foi identificado saindo da residência no sábado (6)  com uma mochila, uma maleta de ferramentas e um celular que seria de uma das vítimas. A polícia rastreou o celular que foi vendido no bairro da Divinéia. A partir de então, a polícia conseguiu localizar o indivíduo que seria o pedreiro que trabalhava na casa do lado e que era conhecido das vítimas. Ele foi preso e em depoimento confessou o crime dando detalhes de como assassinou mãe e filha.

O homem que não teve a identidade revelada, informou que foi contratado por G. A. S para matar as duas mulheres  por R$ 5 mil e que teria duas opções para descartar os vestígios. O primeiro seria; que depois de mortas, as mulheres fossem levadas  para cozinha e no local o executor ascendesse uma  vela com o botijão de gás ligado para ocasionar um incêndio; e o segunda opção, seria levar as duas já mortas para o carro e atear fogo.

O acusado confessou que matou primeiro, Graça Maria Oliveira por asfixia e em seguida a filha Talita Oliveira utilizando uma barra de ferro, depois ambas foram amarradas nas mãos e pés e levadas até o carro da família enroladas em um lençol. Segundo a Delegada a versão dada pelo homem corresponde com parte das provas analisadas pela polícia, inclusive foi realizado exames em que as digitais encontradas no corpo das vítimas que são iguais a do preso.

Equipe do IML e Peritos do Icrim foram ao local do crime
Equipe do IML e Peritos do Icrim foram ao local do crime

O homem declarou à polícia que não ateou fogo no carro porque não teve coragem e também imaginou que levantaria suspeitas na hora de fugir da cena do crime. Acrescentou que foi instruído pelo mandante do crime.

Diante dos fatos, foi pedido a prisão preventiva de G. A.S  e cumprida em Imperatriz, o ex-marido será trazido para São Luís onde vai depor à polícia.

O motivo para manda matar a ex-mulher e a filha seria um conflito financeiro, depois que o casal se separou, Graça Maria havia entrado com várias ações na justiça requerendo parte dos bens que constam entre, imóveis e percentuais de empresas.

Segundo investigações, o mandante do crime tinha perdido alguns processos para a ex-mulher o que teria sido o estopim para mandar executar as duas mulheres.

Também uma terceira pessoa foi presa, segundo as investigações policiais, o preso seria o chefe de obras, que intermediou  as conversas entre o autor do crime e o mandante. Houve inclusive uma negativa inicial do autor, pois foi oferecido apenas R$ 3 mil pela execução das duas mulheres, após conversações ficou acertado o valor de R$ 5 mil.

A Delegada Viviane Fontinelle destacou que essa foi uma investigação bastante complexa de um crime horrendo, mas que as investigações continuam até sua conclusão.

VEJA TAMBÉM: Mãe e Filha são encontradas mortas no Calhau

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo