Gospel
Tendência

TOP 15: Declarações polêmicas do pastor Silas Malafaia

Líder conhecido por não ter medo de falar o que pensa completa aniversário neste sábado

Líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC), com igrejas no Brasil e em Portugal, o pastor Silas Malafaia completa 61 anos neste sábado (14). Casado há 39 anos com a pastora Elizete Malafaia, ele é pai de Silas Filho, Thalita e Taisa e se decida ao Evangelho há mais de 40 anos.

Teólogo e formado em Psicologia, Malafaia foi um dos primeiros pastores a comandar um programa evangélico na TV brasileira. Em 1982, estreou o Vitória em Cristo, em defesa dos valores cristãos, da família e da vida.

Malafaia e Elizete estão casados há 39 anos Foto: Reprodução

Autor de mais de 40 livros, Silas é idealizador de vários projetos, como a Associação Vitória em Cristo (AVEC), fundada em 1982; o Congresso Pentecostal Fogo para o Brasil, que acontece desde 1997; e a Escola de Líderes da Associação Vitória em Cristo (Eslavec), que, desde 2009, é referência no treinamento da liderança evangélica brasileira.

Sempre com uma opinião na “ponta da língua” sobre qualquer assunto, o pastor Silas Malafaia coleciona polêmicas com suas declarações assertivas. Pensando nisso, separamos algumas dessas opiniões dadas pelo líder cristão.

JAIR BOLSONARO
Apoiador do presidente Jair Bolsonaro, ainda no período eleitoral, Malafaia entrevistou o mandatário em seu programa após o resultado das urnas. Bolsonaro foi recebido pelo pastor durante um culto no templo-sede da ADVEC, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Em uma de suas defesas ao atual governo, o líder religioso declarou que a eleição de Bolsonaro foi uma resposta a anos de oração da Igreja e profetizou um novo tempo para o Brasil.

MOURÃO
O vice-presidente Hamilton Mourão foi alvo de duras críticas do pastor assembleiano. Pelo Twitter, ele criticou algumas declarações do braço-direito de Bolsonaro e o acusou de ter segundas intenções. Ele também questionou a imprensa por “colocar com tanta evidência um vice”.

LULA
Durante uma entrevista ao jornal O Dia, o pastor Silas Malafaia confessou que votou no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por acreditar em sua missão de resgatar o país, até mesmo pela sua origem humilde. Hoje, ele considera Lula uma verdadeira decepção.

O líder da ADVEC sempre se mostrou um grande apoiador de Jair Bolsonaro Foto: Reprodução

IMPRENSA
Sempre se manifestando contra a postura da imprensa em atacar o governo, Malafaia não economizou em suas declarações contra o trabalho tendencioso de alguns jornalistas, principalmente do grupo Globo. Em agosto, uma série de publicações foram divulgadas sobre a avó e a mãe de Michelle Bolsonaro, que foram indiciadas no passado. O pregador classificou as reportagens como algo podre, nojento, lixo moral e canalha.

OPERAÇÃO LAVA JATO
Durante os vazamentos de supostos áudios de conversas entre membros da Lava Jato, o pastor saiu em defesa do ministro da Justiça, Sergio Moro. Malafaia afirmou que a equipe do The Intercept Brasil pretendia “não apenas desacreditar a operação Lava Jato, mas também atingir Bolsonaro”. Ele ainda reiterou que isso se trata de “uma afronta ao estado democrático de direito”.

EMMANUEL MACRON
Diante do embate entre Bolsonaro e o presidente francês Emmanuel Macron, devido às queimadas na Floresta Amazônica, Malafaia chamou o europeu de palhaço e hipócrita. O pastor ainda chamou de vergonhosa a abertura que a imprensa brasileira deu a Macron no caso. Em outro episódio, envolvendo a primeira-dama Brigitte Macron, ele chamou as feministas de hipócritas por defenderem a francesa e se calaram diante do tratamento dado pela mídia à Michelle Bolsonaro.

Silas Malafaia criticou reportagens sobre família de Michelle Bolsonaro Foto: Reprodução

HOMOSSEXUALIDADE
Assunto recorrente entre as declarações do psicólogo, Malafaia revoltou a comunidade LGBT ao mostrar um estudo divulgado pela revista Science, que aponta a inexistência de um gene gay, ponto de vista há muito tempo defendido por ele. O pastor reforçou que “raça é condição, homossexualismo é comportamento”.

CASAMENTO GAY
Em entrevista à revista Época, em julho de 2018, o pastor Silas Malafaia expôs sua opinião sobre vários temas concernentes à sociedade atual. Em uma das questões, que abordou o casamento gay, ele negou que seja homofóbico e disse que as pessoas podem fazer o que quiserem. Ele acredita que a base da civilização humana é o homem, a mulher e sua prole e se opôs a casais homossexuais criando crianças.

LEGALIZAÇÃO DAS DROGAS
Ainda na mesma entrevista, ele tratou sobre a legalização das drogas, algo defendido pela esquerda. Atuando com famílias que enfrentam esse problema, ele disse que a maconha, se for legalizada, será a porta de entrada para outras drogas. Malafaia também apontou o aumento de consumo em países mais liberais, como Portugal e Uruguai.

ABORTO
Ao ser questionado pela Época sobre aborto, o pregador classificou a intervenção como “o massacre dos poderosos contra os indefesos”. Totalmente contrário à prática, até em casos de estupro, ele disse que “pior que o trauma de ser estuprado é o assassinato de alguém”. Malafaia afirma que “nenhum ser humano é mais humano que o outro”.

IDEOLOGIA DE GÊNERO
No caso chocante da morte do menino Rhuan Maycon, de 9 anos, que foi esquartejado e morto pela mãe e sua companheira, além de ter o pênis decepado, Malafaia acusou a mídia de omissão. Em vídeo, ele disse que “o crime vai contra o ativismo gay e aquilo que eles defendem de ideologia de gênero”, algo que ele chamou de “falência moral da imprensa brasileira”.

Felipe Neto e Silas Malafaia se envolveram em polêmica 

BIENAL DO LIVRO
No episódio envolvendo a decisão do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, em recolher obras com conteúdo LGBT da Bienal do Livro, Malafaia criticou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) e o posicionamento da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que proibiram a medida. O líder da ADVEC defendeu que a atitude do prefeito foi visando a proteção das crianças e adolescentes que transitaram no local.

FELIPE NETO
Em 2017, Malafaia abriu uma queixa-crime contra Felipe Neto. Em seu canal no YouTube, Neto criticou a decisão do pastor, que iniciou uma campanha contra a Disney, que exibiu um desenho infantil que mostrava um beijo gay. Dois anos depois, o youtuber voltou a atacar o religioso que pediu a recuperação judicial da Editora Central Gospel. O pregador se defendeu dizendo que o pedido foi feito para reorganizar a empres

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios