LocalSaúde

Hospital Aquiles Lisboa registra mais de 4 mil consultas ambulatoriais em maio de 2019

O Hospital Aquiles Lisboa, localizado no Bairro Vila Nova, atingiu no mês de maio mais de 4 mil consultas ambulatoriais, um recorde para o período. Unidade da Secretaria de Estado da Saúde (SES) referência para o tratamento de hanseníase, o hospital também atende a população em consultas ambulatoriais em dez especialidades.

Em maio de 2015, o hospital realizou 3.634 consultas. Já este ano, o número aumentou para 4.001– um acréscimo de 367 consultas. Segundo o diretor geral da unidade, Raul Fagner Leite da Silva, o aumento reflete as mudanças dos processos de trabalho implantadas no Hospital Aquiles Lisboa desde 2015.

“Mudamos a forma de agendamento de consultas, com isso o absenteísmo (faltas) caiu muito. Hoje, é de apenas 13%. Avançamos na qualidade da organização do atendimento, melhoramos os horários de atendimento dos médicos, ligamos para os pacientes para que eles não faltem à consulta, enfim, melhoramos a organização desde o agendamento até a consulta”, explica Raul Fagner.

Atualmente, o hospital disponibiliza atendimentos à população em clínica médica, endocrinologia, ginecologia, neurologia, nutricionista, obstetrícia, ortopedia, pediatria, reumatologia e urologia – esta última especialidade incorporada nos últimos anos.

Paciente durante atendimento no Hospital Aquiles Lisboa

Diagnosticada com hanseníase, a paciente Ana Lúcia da Silva Moreira faz o acompanhamento em diversas especialidades na unidade de saúde há 1 ano e 4 meses e só tem elogios. Ela acredita que o Hospital Aquiles Lisboa é uma prova de que o SUS pode funcionar bem. Na sexta-feira (7), a paciente precisou retornar para uma consulta após um dos especialistas ter constado uma alteração em seus exames.

“Sempre fui bem tratada. Sou bem recebida e acolhida. Não tenho o que reclamar. Nunca tive problemas para marcar consultas. Esses dias, tive uma consulta e pensava que estava tudo bem comigo, marcaram outra consulta imediatamente, porque estava precisando urgente. Fui encaminhada para outro hospital. Fui bem tratada”, testemunha Ana Lúcia da Silva Moreira.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios