Polícia

Faccionado que matou terceirizados da Cemar é condenado a mais de 25 anos de prisão

Em julgamento ocorrido na quinta-feira (3), na 2ª Vara Criminal de Paço do Lumiar,
Pablo Martins da Silva, conhecido como “De Menor”, foi condenado a 25 anos e 9
meses de prisão, em regime fechado. Ele era acusado da morte de João Víctor Melo e
Francivaldo Carvalho da Silva, funcionários da terceirizada da Companhia Energética
do Maranhão (Cemar). O duplo homicídio aconteceu no dia 15 de janeiro deste ano,
naquela cidade.

Os funcionários da terceirizada foram executados a tiros sem piedade
Os funcionários da terceirizada foram executados a tiros sem piedade

A decisão do juiz Carlos Roberto de Oliveira Paula determina que o acusado cumpra a
pena inicialmente em regime fechado. Desde sua prisão, Pablo Martins está preso no
Complexo Penitenciário de Pedrinhas, na capital. Cinco testemunhas foram ouvidas
durante o julgamento, dentre elas, o irmão do acusado, que também participou do
assassinato.

*Dois funcionários da CEMAR são mortos no Sítio Natureza

O adolescente teria disparado duas vezes contra uma das vítimas, a pedido do irmão. O
menor continua encarcerado em unidade da Funac. Nos depoimentos de Pablo e do
rapaz, ambos afirmaram que a arma usada durante o crime pertencia a eles.

A prisão de Pablo: “De Menor” se apresentou na Superintendência Estadual de
Investigação de Homicídio e Proteção à Pessoa (SHPP) na tarde do dia 22 de janeiro.
Ele é apontado como sendo o mentor do crime e o autor de pelo menos três disparos

que mataram os colaboradores que prestavam serviços para a Cemar. Como já havia
contra ele um mandado de prisão temporária, Pablo Martins acabou preso.

Ele chegou à SHPP em companhia de um advogado e, após ser ouvido pelo polícia,
saiu em diligência com Jeffrey Furtado e uma equipe de investigadores, para que
localizassem a arma utilizada no crime. De acordo com informações do delegado, em
seu depoimento, “De Menor” afirmou que a arma utilizada no crime teria sido deixada
em um terreno, mas, naquele momento, não foi encontrada.

Versão do autor: em sua versão, “De Menor” disse que, minutos antes do crime,
estava na residência de sogra, quando os terceirizados da Cemar chegaram e efetuaram
o corte da energia; inconformado, o suspeito chegou a reclamar solicitando que a
energia fosse religada. “Como não foi atendido, levando em consideração a
inadimplência, Pablo ameaçou os trabalhadores e disse que os derrubariam ‘a bala’.

Segundo ele, os funcionários teriam dito que arma não era somente para bandido usar;
e, ao saírem para realizar um novo corte em outro local, ele se juntou ao seu irmão,
foram até ‘Chacal’, pegaram a arma de fogo e assassinaram os dois”, explicou Jeffrey.

Sobre o caso: dois funcionários da empresa Consórcio Norte Engenharia, que presta
serviços para a Companhia Energética do Maranhão (Cemar), identificados como João
Victor Melo e Francivaldo Carvalho da Silva, foram executados a tiros na manhã do
dia 15 de janeiro, no bairro Sítio Natureza, em Paço do Lumiar.

Segundo informações, as vítimas realizavam trabalhos de cortes de energia na região,
quando, dentro do carro, foram alvejados com tiros na cabeça; ambos morreram no

local. De acordo com o delegado Jeffrey Furtado, uma das hipóteses aponta que o
crime teria sido ocasionado pelo corte de energia de uma das residências.

No dia 17 de janeiro, a polícia apreendeu um adolescente de 16 anos; irmão de “De
Menor”. Em seu depoimento, o adolescente teria confessado sua participação no duplo
homicídio que culminou com a morte dos trabalhadores.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios