Esporte

Eder Militão, o zagueiro mais caro da história do Real Madrid e primeiro reforço de Zidane

Revelado pelo São Paulo, o versátil defensor foi comprado do Porto por 50 milhões de euros e chega ao fim da temporada

Eder Militão, 1998, tornou-se o novo jogador do Real Madrid, que anunciou na quinta-feira a contratação do jovem zagueiro junto ao Porto. O brasileiro assinou por seis temporadas, até junho de 2025, em uma transferência que rondou os 50 milhões de euros (cerca de 215 milhões de reais), o valor mais elevado pago na história do clube espanhol por um zagueiro. Militão, que chegará o Real no próximo verão europeu, é a primeira contratação do clube, cujo elenco será reestruturado por Zinedine Zidane, que voltou ao Real Madri depois de um ano fatídico em que o clube foi eliminado da Champions League, da Copa do Rei e está a 12 pontos do líder do campeonato espanhol.

O jovem jogador, incluído entre os 20 finalistas do Golden Boy, prêmio ao melhor jogador de futebol europeu com menos de 21 anos, dá o salto ao Real depois de uma única temporada na Europa. Militão chegou ao Porto no verão passado, vindo do São Paulo, equipe que o formou, por cerca de sete milhões de euros, um montante muito inferior ao que o clube espanhol vai pagar agora. O jovem é natural de Sertãozinho, no interior de SP, e chegou aos 13 anos de idade para jogar no clube da capital, em 2012. Tratado como uma das maiores promessas da base de Cotia, onde ficam alojados os jovens são-paulinos, Militão estreou como profissional sob o comando de Rogério Ceni, no campeonato brasileiro de 2017.

Conhecido pelas características versáteis, o defensor foi chamado para jogar como volante em seus primeiros jogos pelo São Paulo. Formado como zagueiro, ele só foi ter chances em sua posição de origem no segundo semestre de 2017, já com Dorival Júnior como treinador. Ainda assim, ele aproveitou a lacuna na lateral-direita tricolor para se firmar na terceira posição em que foi testado.

Militão iniciou 2018 como titular da lateral e, mesmo com a troca de Dorival por Diego Aguirre, seguiu intacto no time titular. O jogador aliava o porte alto (1,86 metro) e forte, que protegia bem a zaga, à imposição física e boa saída de bola, que o permitia também apoiar o ataque. Era um dos principais nomes do São Paulo que chegou à liderança do Brasileirão na metade do ano. No entanto, o atleta não chegou a um acordo para renovar o contrato com o clube formador, que se encerrava no fim de 2018, o que obrigou os são-paulinos a aceitarem um valor abaixo do mercado para ter algum lucro com a venda de Eder, em julho, ao Porto. O time tricolor poderia escolher ficar com ele até o fim do campeonato, mas o perderia de graça para os portugueses em dezembrp. Sua saída acarretou na chegada do lateral substituto, Bruno Peres, e a queda de desempenho do São Paulo, que encerrou o campeonato em quinto lugar.

Apenas 27 jogos em competições portuguesas e sete na Champions dispararam seu valor (35 milhões de acordo com o portal Transfermarkt), transformaram a reputação do jogador e o colocaram na mira das grandes equipes europeias. O Real Madrid, por recomendação do seu diretor de futebol internacional, Juni Calafat, rapidamente assumiu a dianteira. A contratação estava praticamente fechada desde o início do ano, dependendo apenas da resolução de alguns detalhes financeiros e contratuais com o São Paulo, que ainda mantinha um percentual dos direitos do jogador. Assim que Zidane chegou, o clube o informou sobre o acordo com o Porto e com o jogador, e o treinador francês não colocou obstáculos à contratação. No clube português, também já jogou como volante e lateral. Sua envergadura o torna também um jogador importante no jogo aéreo, tanto na defesa quanto no ataque. Nesta temporada marcou três gols, dois no Campeonato Português e outro na Champions. Pelo São Paulo, foram quatro em 57 jogos.

Suas condições convenceram rapidamente Sergio Conceição, técnico do Porto, no ano passado. “Sou muito rigoroso taticamente, quando sentir que ele estiver preparado, vou usá-lo”, disse o treinador durante a apresentação do jogador. Militão ficou fora dos dois primeiros jogos do campeonato português, acompanhou o terceiro do banco e no quarto figurou no onze titular. Desde então, terminou 21 dos 22 jogos do torneio nacional em que esteve disponível e foi titular em sete dos oito jogos da Champions disputados pelo Porto.

Seu desempenho não passou despercebido para Tite. O técnico o convocou para a seleção brasileira em setembro do ano passado e Militão estreou contra El Salvador, precisamente como lateral-direito, no qual até agora é seu único jogo pela equipe nacional. O técnico também o convocou para os compromissos das próximas semanas, contra o Panamá e a República Tcheca.

Será a terceira opção para a zaga

“É um jogador muito jovem, polivalente, com muita vontade de acertar, tem muita margem de melhora, é um jogador com muito futuro”, disse Iker Casillas, goleiro do Porto, sobre Militão. “É muito bom, tem muita qualidade e um grande futuro pela frente”, acrescentou Pepe, também companheiro de equipe do novo reforço do Real Madrid. O jovem zagueiro seguirá o mesmo caminho trilhado por Pepe há 12 anos, quando o Real Madrid pagou 30 milhões ao Porto para fazer dele, aos 24 anos, o defensor mais caro de sua história, quando mal tinha chegado ao futebol europeu.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar