Polícia

Delegado pede prisão de irmão de preso por esquartejar homossexual

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Santa Luzia do Paruá, pediu a prisão
preventiva de Valdeci Bezerra da Silva, por envolvimento na morte brutal do
homossexual Ildivan Silva Farias, de 25 anos, o “Nenzin”, que foi esquartejado na
semana passada na cidade de Presidente Médici/MA. O suspeito é irmão de Valber
Bezerra da Silva, 24, que está preso por ter participado do crime.

Conforme informado pelo delegado Elson Ramos do Nascimento, titular da Delegacia
de Santa Luzia do Paruá, Valdeci ajudou o irmão no esquartejamento da vítima,
retalhando alguns membros do homossexual. Ele também colocou o corpo fatiado de
Ildivan em sacos de nylon, que foram encontrados por populares em um açude, mas
sem a cabeça e as pernas, na manhã do último dia 29.

Elson frisou que representou pela prisão preventiva de Valdeci e que o Judiciário
poderia expedir o mandado ainda hoje. Importante destacar que já existe um mandado
de prisão preventiva em desfavor de Valber, que se entregou no dia 30 de janeiro, ao
se apresentar na sede da Delegacia de Santa Luzia. Na ocasião, ele, que é conhecido
como “Seu Jorge”, assumiu a autoria do assassinato e ainda contou os detalhes do
crime bárbaro.

Ao delegado Elson Ramos, “Seu Jorge” alegou que matou o rapaz porque “Nenzin”
estava “dando em cima” dele. Segundo o suspeito, na noite do crime, Ildivan teria se
insinuado para ele e insistido que os dois ficassem juntos, até que Valber teria
ameaçado a vítima com uma espingarda. Diante da insistência da vítima, o autor atirou
na cabeça do homossexual, que morreu no local.

Válber contou ainda que, no dia 26 de janeiro, pediu emprestada a moto de um
vizinho, que não sabia do crime, e levou o corpo até o açude. O suspeito, em
depoimento, assumiu que esquartejou o corpo da vítima sozinho. Contudo, a Polícia
Civil descobriu que “Nenzin” foi ajudado pelo irmão.

O caso: o corpo de Ildivan foi encontrado nas proximidades do Povoado Barro
Vermelho, em Presidente Médici, sendo que o homossexual estava desaparecido desde
o dia 25 de janeiro, quando havia sido visto pela última vez em uma seresta que
ocorria na cidade. Durante a festa, “Nenzin” teria conhecido Valber. A cabeça e pernas
da vítima foram encontradas no dia seguinte ao achado cadavérico.

Conforme o delegado Elson Ramos, a cabeça e as pernas estavam enterradas perto do
local onde o restante do corpo estava.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar